+

Blog novo, vida nova!

Você já pensou em recomeçar a sua vida?

Creio que algumas pessoas em determinados momentos da vida pensam em recomeçar a carreira, o relacionamento ou até mesmo dar aquela virada de mesa no geral, quem nunca?

Sim, eu pensei e decidi mudar algumas coisas.

Mas o por quê?

Me vi numa rotina extremamente corrida, tomava aquele café o mais rápido possível e “partiu trabalho”. Entrava no estúdio cedo e lá ficava enquanto tinha trabalho para fazer, nos finais de semana estava nos eventos. Okay, eu confesso que um pouco é culpa minha, sempre sonhei com isso e fui viciado no meu trabalho, aliás, sou muito apaixonado por ele.

Essa paixão me dava um certo tipo de razão para ficar lá as 12, 14, ou até mesmo 16 horas de trabalho e por um certo tempo foi muito prazeroso, ajudava as pessoas a ter um boa recordação das suas vidas, aliás, acho que isso que me deixa mais feliz ao pensar nisso tudo.

Também tinha o lado financeiro, lógico! Ninguém vive de vento, não é? A necessidade, a independência financeira que sempre tive desde os meus 19 anos e o modo de vida que levava, faziam com que essa rotina fosse algo indispensável.

.Mas aos poucos eu  fui percebendo que precisava diminuir aquele ritmo frenético. Sabe aquela coisa de desligar do trabalho e viver mais as coisas simples da vida? Pois é, eu não sabia.

Mas quando percebi isso?

Eu não sei muito bem dizer qual foi o momento da vida, talvez seja quando o estômago começou a doer, ou a coluna inflamar (não sei muitos termos médicos), quando peguei um infecção nos olhos (parecia o corpo me dizendo algo) ou quanto me vi sozinho e a razão da minha vida era o trabalho e não aquilo que eu realmente importava. A partir daí comecei a repensar, querer tirar o pé do acelerador.

Percebi que a agenda estava sempre cheia de compromissos (isso é ótimo, almejei muito mas tudo tem um preço), queria trabalhar pra viver e não viver para trabalhar. Parece clichê mas eu acho que a gente não precisa de muito pra viver.

Eu sei que tem muita gente que ama essa vida corrida, que se adapta fácil as essas coisas mas essa vibe definitivamente não faz parte da minha natureza. 

Diante de tudo isso eu resolvi viver de uma maneira mais Slow (a palavra da moda  que fala, né?) não fazer tantos compromissos que ocupem toda a minha vida e eu  acabo  não tendo tempo para mim mesmo. Sabe aquele almoço com calma? Aquele café com bate-papo? Aquela visita sem pressa? Aquele momento pra cuidar da mente? Eu queria muito isso. Era tipo “opa, estou atrasado para fazer isso“, “tenho que terminar aquilo” , eu realmente precisava encerrar esse ciclo.

Qual foi o ponto X da mudança?

A pausa para analisar tudo o que eu estava fazendo e como eu estava vivendo.

Algumas atitudes fizeram com que eu tivesse um desprendimento maior e era preciso eu baixar o meu custo de vida e a gente sabe que quanto mais conforto mais caro a vida. E será que não há outras alternativas?

Algumas coisas que decidi cortar (lembrando que esse é o meu modo de vida, não existe jeito certo ou errado, cada um  se adapta aquilo que lhe convém):

  • Carro: uso muito o Uber para ir aos compromissos e a bike para tarefas do dia a dia , andar a pé quando se tem mais tempo além de ser bom  me faz pensar.Ah! Caronas são sempre bem vindas, por que estamos na era do compartilhamento, né? Alguns anos coloquei na ponta do lápis eu acabei vendo que o custo para ter carro era muito alto diante  das minhas necessidades. Com o tempo eu acabei me acostumando a essa rotina e hoje vejo como completamente normal e no momento atual da minha vida dificilmente voltaria a ter um.
  • Estúdio:  Ele se foi! Os atendimentos, edições eu costumo fazer em casa mesmo. É um lugar tão bacana pra morar que até as aulas para iniciantes são aqui (é pequeno mas bem confortável). O homeoffice veio a como uma luva nessa nova fase. E também vale ressaltar que hoje com tudo mobile a gente pode levar tudo pra onde quiser.
  • TV : eu só me dei conta o quanto tv  (no meu estilo de vida) é tão inútil quando eu passei a viver sem ela. Existe tanta coisa pra fazer e pra viver, pra quê uma tv? P.S. sinto falta de filmes, mas nada que não possa ser suportado.
  • Internet:  eu também não tenho na minha casa. Talvez o meu maior problema na questão do desapego, não é fácil! Só tenho no celular e quando preciso usar eu procuro lugares com  wi-fi livre no notebook.

Ah não sou vegano (e não pretendo ser, nada contra! Ainda gosto bastante de carne, peixe, ovos…), nem hippie, muito menos comunista é só um jeito particular de viver, sem rótulos.

Nesse meio tempo aprendi a cozinhar, a lavar roupa e tarefas diárias de casa, e posso dizer que é um serviço sem fim (meus amigos, deêm valor a quem faz isso por vocês).

Não! Eu não vou parar de fotografar! É a minha paixão, não sei mais viver sem a fotografia.

Nem posso, tenho contas, aluguel, os famosos boletos. Pelo contrário, quero muito continuar trabalhando com fotografia e promover novos projetos relacionados. Quero dar aulas na minha casa, ajudar novos empreendedores,  ir nas escolas e apoiar projetos que buscar mudar o planeta, pra melhor é claro.

Se você tem algum projeto e precisa da fotografia, vamos tomar um café e conversar como eu posso lhe ajudar. Será um grande prazer.

Continuem acompanhando que terei muitas novidades! A vida está aí e quero muito viver de forma intensa, principalmente no cotidiano.

CSF_3627